sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Quem foi Lord Byron?

Jorge Gordon Byron, conhecido como Lord Byron, foi um importante poeta inglês do século XIX. 
Nasceu da cidade de Londres em 23 de janeiro de 1788. 
É considerado, na literatura inglesa, um gênio poético e um dos principais representantes do romantismo inglês. Seus poemas são carregados de inspiração exaltada, crítica social, impetuosa e violenta. Apresentam temas ligados à tristeza humana e melancolia. Seu primeiro livro de poemas foi “Horas de lazer”, escrito em 1807.



Fez muitas viagens, que o inspiraram. Em Genebra, viveu com Claire Clairmont com quem teve uma filha, em 1817, chamada Allegra.
Byron era aleijado de um pé. Morou um tempo em Lisboa, porém uma situação desagradável o indispôs contra os portugueses. Foi morar no Oriente, em seus últimos anos de vida. Morreu em Missolonghi no dia 19 de abril de 1824.


Curiosidade: Byron era um dos autores prediletos de   Álvares de Azevedo. Álvares faz citações dele em Lira dos 20 anos: 
" Let me perish young"; "A dream that was not all a dream. Darkness". Traduzindo: 
"Deixe-me morrer jovem"; "Um sonho que não era todo um sonho.  As trevas"



Versos Inscritos numa Taça Feita de um Crânio

Não, não te assustes: não fugiu o meu espírito
Vê em mim um crânio, o único que existe
Do qual, muito ao contrário de uma fronte viva,
Tudo aquilo que flui jamais é triste.
Vivi, amei, bebi, tal como tu; morri;
Que renuncie e terra aos ossos meus
Enche! Não podes injuriarme; tem o verme
Lábios mais repugnantes do que os teus.
Onde outrora brilhou, talvez, minha razão,
Para ajudar os outros brilhe agora e;
Substituto haverá mais nobre que o vinho
Se o nosso cérebro já se perdeu?
Bebe enquanto puderes; quando tu e os teus
Já tiverdes partido, uma outra gente
Possa te redimir da terra que abraçar-te,
E festeje com o morto e a própria rima tente.
E por que não? Se as fontes geram tal tristeza
Através da existência-curto dia,
Redimidas dos vermes e da argila
Ao menos possam ter alguma serventia.

4 comentários:

  1. Mais uma vez você mostra ser uma bela pesquisadora, e resgata umas das muitas belas escritas desse Lord de sombrias palavras...
    Parabéns Nix, aqui é mais que um Blog, é uma Enciclopédia do mundo Gótico.
    Beijos, Boa Semana...

    ResponderExcluir
  2. Ele escreve coisas boas. Concordando com o leitor dai de cima, seu blog é uma enciclopédia gótica.

    ResponderExcluir
  3. Amei estudar Lord Byron em Literatura no ano passado. Ele foi, sem dúvida alguma, um dos principais poetas ultra-românticos.
    O cinismo, o pessimismo, enfim, o romantismo sombrio de sua obra criaram, juntamente com sua vida conturbada, uma legião de jovens poetas “byronianos” por todo o mundo.

    Parabéns pelo post! X

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quem não gostaria de estudar as obras desse homem brilhante?
      Somos seus seguidores, somos todos poetas.

      Excluir